sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Élton Festenseifer


8 comentários:

Anônimo disse...

Ótimo jogador, mas infelizmente se declarou macaco e nao quis mais saber do Gremio até hoje.

André disse...

Será que ele é pai ou avô do Neuton?? Muito parecido.

Anônimo disse...

TRAÍRA DESGRAÇADO, MAS JOGAVA MUITO!!!

Anônimo disse...

Grande Élton!!! Jogava no Grêmio na mesma época de Airton, Ortunho, Juarez, Milton, Vi(Vieira), Marino, Calvet... Eu era pequena, tinha uns 5-6 anos (como aprendi a ler com 4 anos), Adivinhem onde eu treinava leitura?! Nas Revistas do Grêmio que meu pai assinava... Lembro até hoje de algumas capas da revista e de algumas reportagens. Era o meu brinquedo preferido, passava o dia inteiro, dia após dia, em função com aquelas revistas.Hehehe... Esses foram meus primeiros ídolos do Grêmio e ainda são os meus maiores ídolos até hoje. Ainda tinha Gessi, Henrique... tinha o Germinaro, Orlando...
Apesar do Élton depois ter ido para o Inter, confesso que mesmo assim eu não consigo odiá-lo por isso, porque a admiração que nós gremistas tínhamos por ele era, e ainda é, maior do que essa "rixa" entre torcidas (inclusive eu tenho um primo falecido, que era Élton por causa dele). Naquela época tudo era diferente, os ânimos começaram a ficar acirrados mesmo, mais lá para o final da década de 60, principalmente quando o Inter foi Campeão, no ano que o Grêmio tinha tudo para ser Octacampeão Gaúcho, (mais ou menos o que houve nesse ano de 2011). Aquele dia foi muito triste... E a partir daí os gremistas mudaram sua postura de "aristocratas" como eram chamados e cederam as provocações dos colorados. Uma pena! Fanatismo, baixarias, provocações, flautas (corneta), essa irracionalidade nojenta era coisa de colorado. Esses nasceram para serem chatos, pois se eles fossem diferentes não seriam colorados... Era assim que se pensava e eu penso até hoje. Gremista não se dava o "desfrute" de discutir com colorado, principalmente quando se ganhava. Apenas festejávamos as vitórias, os campeonatos e pronto! E quando eles ganhavam, eles que fossem festejar como quisessem.
Élton fez muito pelo Grêmio, jogou MUITO mesmo e merece eternamente o nosso respeito e gratidão, até mesmo porque seu comportamento enquanto jogador tricolor foi de uma lisura exemplar.

PAULISTINHA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
PAULISTINHA disse...

Este cara jogava demaissssss... nunca o Brasil teve uml cracaço de bola na posiçpão. Sabia tudo e muito mais

Anônimo disse...

MACACO FDP!!!!

Anônimo disse...

Esse alemão jogava muito