segunda-feira, 12 de março de 2012

Chamaco

Foto enviada por Murilo Vieira

13 comentários:

Anônimo disse...

Nossa! Desenterraram esse? Chamaco Rodriguez! Meu pai dizia que era tenebroso! Um dos piores que ele já viu, mas, que era muito divertido vê-lo jogar. Bem no início dos anos 70, se não me engano.

murilovieira disse...

Volante argentino

jogou aqui no ano de 1971

Anônimo disse...

Estiloso o bigode

Anônimo disse...

O professor girafales jogou no grêmio?

Anônimo disse...

Pablito Escobar.

Alexandre Bertaiolli disse...

Era pra ser Camacho mas achou feio e mudou

Daniel Petry disse...

dizem que batia até na sombra...não perdia a viagem..

Anônimo disse...

Chamaco Rodriguez, volantão argentino tosco. Adentrava ao gramado com os cabelos lambidos (passava trimm). Certa feita num Grenal encardido fez um gol com a mão. Gainete reclamou e o Agomar anulou.
Foi embora quando o Ancheta chegou. A CBD só permitia 2 estrangeiros por equipe.

Rudi Martins disse...


Fez um golaço de calcanhar em Santa Maria...veio junto com o Scotta...os dois argentinos viviam na rua da Praia...dois caras legais pra caramba...os macacos temiam...




"O jogo transcorria fácil para o tricolor, 2 x0, dois gols de Scotta, quando o estádio todo ouviu os gritos de Chamaco: “Prô Pinôssa!!, Prô Pinôssa!!!” Era o gringo que jogava o tempo todo falando, indicando que a bola era para o lateral direito Espinoza (o Valdir) e, lá chegando, Espinoza esticou até o ponta-direita Flecha que, ao chegar à linha de fundo, cruzou. Scotta se passou na primeira trave, a bola abriu um pouco e foi em direção à meia-lua e, ali!!!, o lance mágico! Vendo que ia se passar, Chamaco esticou a perna esquerda para trás e de calcanhar fez um movimento no ar lançando a pelota sobre o seu corpo, inventando uma "bicicleta às avessas”. A bola encobriu o goleiro Valdir e morreu no centro do gol diante dos olhos de dois guris (mais o “mundo” inteiro), hipnotizados pela genialidade do lance. Nas cabines de rádio, Milton Jung narrava emocionado, dizendo que era um gol que ocorreria de 50 em 50 anos, "quem viu, viu", dizia ele. O jogo acabaria 3 x 1.
Vi vários gols de calcanhar, mas um calcanhar de bicicleta, nunca mais.
No final do ano, Chamaco Rodriguez, um cigano da bola, foi para o Uruguai envolvido na transação que trouxe Atílio Ancheta para o Grêmio, mas deixou escrita uma bela página na história do Imortal. Por muitos anos, homens que usavam bigodes espessos e grandes seriam apelidados de “Chamaco”.
"Bruxo Niderauer"

Anônimo disse...

Ele parece aqele do "te passo o relho muleqe baitola" hehe

Anônimo disse...

TE PASSO O RELHO MOLEQUE BAITOLA!!!

gerson selayaran disse...

El maricon apelido ficava uma fera

Anônimo disse...

Chamaco era uruguaio, centro-avante. Fez um gol de nuca, num cruzamento, e o juiz José Luiz Barreto anulou, alegando mão. Eu estava lá pertinho e o estádio todo viu que foi de nuca, mas não haviam dezenas de câmeras para esclarecer o lance. Foi nas finais do gauchão e e esse gol impediria um dos títulos do octa do inter. Coisas de uma era complicada, onde os jogos encruados do colorado só acabavam depois que Escurinho fazia gol de cabeça nos descontos...