sábado, 17 de novembro de 2012

Detefon

Foto enviada por Rodrigo Espinosa Cabral

4 comentários:

Anônimo disse...

Foi um veloz atacante no final da decada 40. Infernizava qualquer defesa. Veio do Força e Luz, time dos ferroviarios. Nos ultimos anos de atuaçao era escalado como ARIOVALDO.

Anônimo disse...

Uma correçao. O time dos ferroviarios era o Nacional, o ferrinho.
O Força e Luz era da Carris dos bondes eletricos.

Anônimo disse...

A sua tática era arrodiar, arrodiar e não matar!!

Lise Bing Wendt disse...

"Ariovaldo fez sua estréia no time do Força e Luz. Ah, Ariovaldo era jogador de futebol, um atacante veloz, de chute explosivo. Só que ninguém o conhecia, ainda.

Ainda.

Naquela tarde, Ariovaldo e seus 10 colegas do Força e Luz enfrentaram o poderoso time do Inter hexacampeão gaúcho, o temível Rolo Compressor. E o bateram, com um gol dele, o jovem Ariovaldo. Quer dizer: ele havia matado o Inter. Ariovaldo, o matador. E, como quem matava tudo era o Detefon, isso significava que Ariovaldo era o Detefon.

A façanha se deu em 1949, quando Detefon já jogava no Grêmio. No Gre-Nal decisivo do Gauchão.

O Grêmio estava com 4 juniores e um jogador a menos, diante do Rolo Compressor, com Tesourinha e tudo. O técnico Otto Pedro Bumbell deu a seguinte instrução:
– Recuem todos. Deixem só o Detefon lá na frente.

Pois Detefon sozinho, zunindo de um lado para outro, chutando com violência com os dois pés, de qualquer distância, indo à linha de fundo, invadindo a área, perdendo gol cara-a-cara com o goleiro Ivo, Detefon, apenas ele, imobilizou toda a defesa do Inter e segurou o 1 a 0. Grêmio campeão. Os colorados ficaram abalados. Tesourinha foi acusado de omissão e mandado embora para o Vasco. Era o fim do Rolo Compressor."

Trecho do texto da coluna do David Coimbra na Zero Hora. Aqui tem completo: http://goo.gl/NtSof

E aqui o post que fiz em homenagem a ele, meu tio querido: http://goo.gl/rCJb7