quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Renato Portaluppi

47 comentários:

Anônimo disse...

Maior idolo da historia do Gremio!!

Anônimo disse...

Renato = Maradona > Pele

Anônimo disse...

"Dá-le Renato lá, o Portaluppi
Meu coração não para de cantar

Com dois golaços, de Portaluppi
Grêmio pra sempre Campeão Mundial"

Jair Bernardes disse...

Renato, 'O Homem Gol'.
Se encachaçava, virava a noite na farra e no outro dia fazia gol em Gra-nal.
O pai de todos os malandros.

Anônimo disse...

Renato Portaluppi, mais conhecido como Renato Gaúcho (Guaporé, 9 de setembro de 1962), é um treinador e ex-futebolista brasileiro.

Renato foi ponta-direita do Grêmio, Flamengo, Botafogo, Cruzeiro, Fluminense, Atlético-MG, Roma e Bangu.

Anônimo disse...

"Dá-le Renato lá, o Portaluppi
Meu coração não para de cantar

Com dois golaços, de Portaluppi
Grêmio pra sempre Campeão Mundial"

x1000

araken medeiros disse...

esse foi o maior o crake mais nao sei porque gostava tanto do flamengo bricadeira sei que seu coraçao é´azul preto e braco.

Anônimo disse...

foto engraçada.. ele devia ser bem guri novo ai neh?

Lisiane disse...

grande herói do mundial !

Anônimo disse...

Renato ta igual ao Jim Morrison nessa foto!! Será que só eu achei?

Anônimo disse...

"Dá-le Renato lá, o Portaluppi
Meu coração não para de cantar

Com dois golaços, de Portaluppi
Grêmio pra sempre Campeão Mundial"

x1001

hehehe

Anônimo disse...

Q fotinho hein... podia ter posto uma melhor do nosso maior craque

Anônimo disse...

Ta treinando o Bahia agora.

Harley Coqueiro disse...

Lenda viva!

Anônimo disse...

Renato Gaúcho

Renato Portaluppi, mais conhecido como Renato Gaúcho (Guaporé, 9 de setembro de 1962), é um treinador e ex-futebolista brasileiro. Atualmente, treina o Bahia.

Renato foi ponta-direita do Grêmio, Flamengo, Botafogo, Cruzeiro, Fluminense, Atlético-MG, Roma e Bangu.

Antes de encerrar a carreira, ainda em 1996, experimentou o cargo de treinador no Fluminense, ainda atuando também como jogador. Após encerrar sua carreira como jogador, em 1999, tornou-se treinador. Passou por Madureira, Fluminense e Vasco da Gama, antes de voltar ao Fluminense. Nesse clube conseguiu chegar à final da Taça Libertadores da América, em 2008, e foi campeão da Copa do Brasil, em 2007. Em agosto de 2008, já desgastado com a torcida e diretoria após fraco desempenho no campeonato brasileiro, foi demitido. No mês seguinte Renato foi contratado pelo Vasco da Gama, retornando ao clube que treinou entre os anos de 2005 e 2007, porém, o Vasco foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro sob o seu comando.


Carreira

Como jogador
Renato começou sua carreira no Clube Esportivo de Bento Gonçalves, onde morou durante toda sua infância e juventude. Mais tarde, foi contratado pelo Grêmio, clube que o projetou para o Brasil e para o mundo, após as conquistas da Taça Libertadores da América e do Mundial Interclubes, em 1983.

Na decisão do Mundial Interclubes, em Tóquio, Renato fez os dois gols da vitória do Grêmio por 2 a 1 sobre o Hamburgo, da Alemanha. Por esse motivo, o atacante foi escolhido o melhor jogador da final, recebendo como prêmio um carro Toyota.

Depois do Mundial, Renato levou o Grêmio ao bicampeonato gaúcho em 1985 e 1986, sendo considerado o maior héroi da história do Grêmio por ter feito os 2 gols na final em Tóquio contra o Hamburgo da Alemanha. Foi convocado para a Copa do Mundo de 1986, mas durante os preparativos para a competição teve um desentendimento com o técnico Telê Santana e acabou de fora do grupo que viajou até o México.

Em 1987, Renato acertou sua ida para o Flamengo, onde veio a formar uma grande dupla de ataque com Bebeto. Renato ganhou a simpatia da torcida rubro-negra após marcar contra o Atlético Mineiro, no Mineirão, o gol que garantiu de vez o Flamengo na final do Campeonato Brasileiro de 1987. Naquela ocasião, Renato foi eleito o melhor jogador do campeonato, recebendo a Bola de Ouro da Revista Placar.

Trocou o Rio de Janeiro pela Itália em meados de 1988, onde foi jogar pela Roma. Porém, retornou ao rubro-negro já no ano seguinte. Desta vez, atuando ao lado de Bobô e Gaúcho, Renato sagrou-se campeão da Copa do Brasil de 1990.

Também em 1990, foi convocado para ir a Copa do Mundo da Itália. No entanto, na Seleção de Lazaroni, Renato foi somente o reserva de Careca e Müller. Entrou na partida contra a Argentina, nas oitavas-de-final, mas não conseguiu reverter o placar adverso de um a zero que acabou resultando na eliminação do Brasil.

Em 1991, deixou o Flamengo novamente quando assinou sua transferência para o Botafogo. Integrou a equipe alvi-negra que às finais do Campeonato Brasileiro de 1992, contra o próprio Flamengo. O rubro-negro venceu por 3 a 0 na primeira partida e, no dia seguinte, Renato compareceu ao churrasco comemorativo dos atletas do Flamengo, na casa do amigo Gaúcho. O incidente repercutiu amplamente na mídia, gerando um imenso desconforto na sede do Botafogo. Renato foi penalizado com afastamento do grupo e o Botafogo apenas empatou a partida de volta, perdendo o título.

Anônimo disse...

Depois de sua conturbada saída do Botafogo, Renato foi para o Cruzeiro, onde ajudou o time mineiro nas conquistas do Campeonato Mineiro e da Supercopa Libertadores, ambos em 1992.

Então, após passagens discretas por Flamengo e Atlético-MG, Renato chegou ao Fluminense em 1995. No Campeonato Carioca desse ano, Fluminense e Flamengo chegaram à última rodada do octogonal final como os únicos com chance de conquista do título. Apesar de terminar o primeiro tempo em vantagem, o tricolor teve jogadores expulsos, o que permitiu a reação e o empate rubro-negro em 2 a 2, resultado que daria o título ao clube da Gávea. Mas faltando quatro minutos para o final da partida, Aílton fez boa jogada e bateu para o gol. A bola escorou na barriga de Renato e tomou a direção do gol. Com o resultado de 3 a 2, o título ficou com o Fluminense e a jogada, conhecida como o gol de barriga.

Mais tarde naquele ano, Renato colaborou para a chegada do Fluminense até as semifinais do Campeonato Brasileiro de 1995. Porém, em 1996, o Fluminense fez péssima campanha no Campeonato Brasileiro. Nas últimas rodadas, quando o time lutava contra o rebaixamento, Renato tentou transmitir confiança à torcida declarando publicamente que desfilaria nu caso o Fluminense caísse para a Segunda Divisão. Mas as palavras do craque não foram suficientes e, por fim, o Fluminense terminou o campeonato na penúltima posição. Contudo, o craque, felizmente, não pagou a promessa.

Em 1997, Renato voltou a jogar novamente no Flamengo e, dois anos mais tarde, em 1999, encerrou sua carreira no Bangu.


Como treinador
A primeira experiência de Renato como treinador aconteceu em 1996, quando ainda era jogador do Fluminense. Na luta contra o rebaixamento, o tricolor carioca, por duas vezes, chegou a usar Renato como treinador interino.

Mais tarde, após sua retirada dos gramados, Renato iniciou a carreira de treinador no Madureira, time da cidade do Rio de Janeiro. Ficou neste clube por dois anos, mas não conseguiu se firmar na nova função.

Em setembro de 2002, Renato teve outra oportunidade como técnico, quando voltou a exercer o comando da equipe do Fluminense. Deixou o cargo quase um ano depois, em julho de 2003. Porém, poucos meses depois, entre outubro e dezembro daquele ano, teve nova passagem pelo clube carioca.

Depois de sua saída do Fluminense, Renato ficou desempregado durante o ano de 2004. Em 2005, o Vasco da Gama, clube que Renato nunca chegara a vestir a camisa como jogador, contratou-o como técnico. No Vasco, Renato conseguiu, definitivamente, solidificar sua carreira como treinador. Conseguiu levar sua equipe ao vice-campeonato da Copa do Brasil de 2006 e ao 6º lugar do Campeonato Brasileiro de 2006, sendo eleito o segundo melhor técnico do Brasil, pela votação da CBF. Contudo, depois de não conseguir levar o Vasco da Gama às finais do Campeonato Carioca de 2007, foi demitido do clube e acabou regressando ao Fluminense.

Anônimo disse...

Na nova passagem pelo tricolor carioca, chegou novamente às finais da Copa do Brasil. Após o empate no primeiro jogo por 1 a 1, realizado no Maracanã, o Fluminense foi até Santa Catarina e derrotou o Figueirense por 1 a 0. Com isso, a Copa do Brasil de 2007 tornou-se o primeiro título na carreira de Renato como treinador. Com a conquista da Copa do Brasil, o Fluminense garantiu uma vaga para a Copa Libertadores, a primeira oportunidade de Renato disputar esta competição como treinador. Na atual campanha da Copa Santander Libertadores da América, o Fluminense conseguiu uma classificação contra o Sâo Paulo de Muricy Ramalho, vencendo por 3 a 1 a equipe paulista e levando o Fluminense a uma inédita semifinal da Taça Libertadores, com um gol do atacante Washington nos acréscimos do segundo tempo, de cabeça, jogada treinada à exaustão pela equipe.

Na quarta fase da mais importante competição continental, o Fluminense disputou as semifinais contra o Boca Juniors, da Argentina, com quem empatou por 2 a 2 na primeira partida disputada em Buenos Aires, e venceu por 3 a 1 no jogo de volta no Maracanã, classificando o tricolor, para a inédita final e escrevendo seu nome na história do clube. Na final foi derrotado pela LDU, time do Equador, no Maracanã lotado.

Após a derrota do Fluminense para o Ipatinga em Minas Gerais, ambos nas últimas posições do campeonato brasileiro, foi demitido na chegada da delegação ao Rio de Janeiro, ainda no aeroporto Santos Dumont na madrugada de 11 de agosto de 2008.

Em setembro do mesmo ano, Renato Gaúcho acertou o seu retorno ao Vasco. Sua campanha não foi boa e o Vasco acabou rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro.

Em 20 de julho de 2009, Portaluppi foi contratado como novo treinador do Fluminense.

Em 1 de setembro de 2009, Renato foi demitido do Fluminense. Para seu lugar foi contratado Alexi Stival (Cuca), ex-técnico do Flamengo.

No dia 13 de dezembro, foi anunciado como novo treinador do Bahia para a temporada de 2010.



Títulos

Como jogador

Grêmio
Mundial Interclubes: 1983
Copa Libertadores da América: 1983
Campeonato Gaúcho: 1985 e 1986

Flamengo
Campeonato Brasileiro: 1987
Copa do Brasil: 1990

Cruzeiro
Supercopa Libertadores: 1992
Campeonato Mineiro: 1992

Fluminense
Campeonato Carioca: 1995

Seleção Brasileira
Copa América: 1989


Como treinador

Fluminense
Copa do Brasil: 2007

Artilharia
Supercopa Libertadores: 1992,taça libertadores:1983

Prêmios
Melhor jogador do Mundial Interclubes: 1983
Bola de Ouro da Revista Placar: 1987

Anônimo disse...

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Renato_Ga%C3%BAcho

Anônimo disse...

Renato o Homem Gol!

"Dá-le Renato lá, o Portaluppi
Meu coração não para de cantar

Com dois golaços, de Portaluppi
Grêmio pra sempre Campeão Mundial"

Anônimo disse...

teve uma passagem meio esquecida aqui no final de 1991

quem souber mais informações poderia contar

araken medeiros disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
araken medeiros disse...

grande renato gaúcho em 95 teve uma participaçao em uma partida não sei se era amistosa, seria uma honrra para todos nós gremista e tenho certeza para o renato também ter encerrado a sua brilhante carreira em 1996 aqui no gremio sendo campeão brasileiro era pra feixar com xave de ouro. mas valeu por tudo que fez pelo gremio renato.

Anônimo disse...

Bah, lembro deste jogo.. foi em 1995.. Copa dos Campeões Mundiais.. competição criada pelo SBT.. hehe..
Cada clube participante poderia levar um ídolo que foi campeão mundial (só o santos que não levou ninguém eu acho, hehe).
Renato jogou junto com Jardel.

Tem vídeo aqui:

http://www.youtube.com/watch?v=yyOylcg1xTw

Abraços

Anônimo disse...

IDOLO IMORTAL

Anônimo disse...

Renato = Maradona > Pele

x2

Heheheh

Anônimo disse...

Bah, Portaluppi e Jardel juntos! Essa eu queria ter visto!

Anônimo disse...

Renato Portaluppi, o herói do Campeonato Mundial

O ponta-direita enlouqueceu os durões zagueiros alemães do Hamburgo, em 83

Habilidoso, atrevido e polêmico. Renato Portaluppi sempre foi conhecido por seus dribles fantásticos, tanto quanto por seu temperamento forte. Para os gremistas, no entanto, ele sempre será lembrado como o herói do Campeonato Mundial, quando foi responsável pelos dois gols na vitória sobre o Hamburgo, e acabou eleito o melhor jogador da partida.

Nascido em Guaporé, no interior do Rio Grande do Sul, Renato chegou a trabalhar em uma padaria em Bento Gonçalves antes de vir para Porto Alegre, apostando em seu futebol. Iniciou entre o grupo de juvenis do Grêmio, onde logo se destacou. Foi promovido à equipe profissional no início de 82, mas passou boa parte do ano no banco de reservas, por escolha do técnico Ênio Andrade.

Em 1983, no entanto, Renato foi alçado à titularidade e logo se firmou como um dos maiores craques do futebol nacional. Neste ano, foi figura fundamental nas conquistas da Libertadores e do Mundial, no qual fez os dois gols da vitória gremista e acabou eleito melhor jogador da partida.

Nos próximos anos, o ponta-direita, se estabeleceria como ídolo da torcida gremista, levando o Grêmio ainda à conquista de dois Campeonatos Gaúchos, em 85 e 86.

Durante este tempo, Renato também ganhou fama de insubordinado e encrenqueiro. Notório bon vivant, era garantia de dor-de-cabeça para técnicos rigorosos e disciplinadores. O mais famoso destes episódios, sem dúvida, foi quando de sua participação na Seleção Brasileira que iria à Copa do Mundo em 1986.

Convocado devido às suas excelentes performances no Grêmio, que culminaram com as duas conquistas do Estadual, Renato se viu dirigido por Telê Santana, famoso pelo rigor e a disciplina que impunha em seus jogadores. O treinador estabeleceu um severo esquema de concentração, com pouquíssimas folgas e horários estritos para reapresentação.

Anônimo disse...

Numa dessas folgas, Renato e Leandro acabaram chegando muito depois do horário estabelecido pelo treinador. Dada a fama de Renato, e o fato de que ambos eram reincidentes no atraso, Telê resolveu fazê-los de exemplo para o grupo, e os mandou de volta para casa.

Renato se indignou com a decisão de Telê, dizendo que outros faziam a mesma coisa mas pulavam o muro da concentração por não ter coragem de encarar o técnico. Estava criada, então, uma antipatia de Renato por Telê que iria durar 10 anos.

A torcida, no entanto, sempre adorou o temperamento forte do jogador, que nunca deixou de ser ídolo em todos os clubes por que passou. Renato trocou o Grêmio pelo Flamengo em 1986, concretizando um antigo desejo de jogar no Rio de Janeiro. Seguidamente visto passeando pela orla carioca, ficou logo conhecido como "Rei do Rio", alcunha que foi somada a seu apelido de Renato "Gaúcho", que carregaria pelo resto da carreira.

O jogador ainda passou pela Roma (Itália), Botafogo, Fluminense e Bangu, além de outras passagens pelo Flamengo. Time este pelo qual pendurou suas chuteiras pela primeira vez, em 1998, quando saiu dos campos para assumir o cargo de diretor-técnico do clube. Depois, voltou a jogar pelo Bangu, mas seus joelhos não eram mais os mesmos e ele rapidamente se contundiu, declarou que estava cansado da rotina de jogador e, aos 36 anos, se aposentou oficialmente.

Depois da aposentadoria, Renato iniciou uma carreira de treinador. Muito ligado ao Rio de Janeiro, já passou por clubes como Fluminense, Madureira e Vasco.

Saiba mais
Nome: Renato Portaluppi
Posição: ponta-direita
Nascimento: 9/9/1962
Local: Guaporé (RS)
Período no Grêmio: de 1980 a 1987

Títulos
1983 - Campeão da Taça Libertadores da América
1983 - Campeão do Campeonato Mundial Interclubes
1985 e 86 - Campeão Estadual

Reportagem Gremio.net

Pedro Rafael Marques disse...

Deus existe!

Agradeço todos os dias, por ele ter deixado eu te ver jogar. O meu herói é de verdade, e não é um "gabiru" que nada mais é do que um rato preto.

Anônimo disse...

Renato é o cara, o rei de todos os fanfarrões!

Ele enquadrou até o Romário no Vasco!

Anônimo disse...

Bom tecnico tambem!

Anônimo disse...

Renato Imortal Portaluppi!
Vale um blog especial sobre ele...
Ainda vai no levar muito longe como técnico.
Ass.: Cassiano Silveira

Anônimo disse...

Meu Ídolo é só Jesus, mas admiro muito esse cara, honrou nossa camisa..

Acho que o Grêmio precisa ter o respeito resgatado com esse cara, que é gremista de verdade!

cassiano disse...

sem comentarios! eh o renato gaucho neh pow!

ARAKEN MEDEIROS disse...

SEI QUE TREINADORES VIVEM DE RESULTADOS, MAS ESPERO QUE A DIRETORIA DO GREMIO NÃO TRATEM O RENATO COMO UM QUALQUER TREINADOR, E QUE SE NÃO FOR CAMPEÃO DA LIBERTADORES NÃO DEMITAM O NOSSO MAIOR IDOLO. RENATO TEM QUE SER DIFERENCIADO,SE UM DIA ELE NÃO QUISER SER TREINADOR DO GREMIO TEM QUE SER PRESIDENTE. E SÓ NÃO VAI GANHAR A LIBERTADORES NOVAMENTE PRA GENTE E O MUNDIAL, PORQUE A DIRETORIA NÃO ATENDEU OS SEUS PEDIDOS. JÁ PENSOU SE O GREMIO ESTIVERSSE COM O RONALDINHO GAÚCHO NESSE TIME E COM O ZAUEIRO URUGUAIO QUE O RENATO QUERIA E COM GILBERTO SILVA QUE TAMBÉM O RENATO GOSTARIA, MAS ELE NÃO TEM CULPA VAMOS TENTAR SER CAMPEÃO COM ESSE TIME CONFIO NO NOSSO IDOLO, RENATO GAÚCHO.

Marcio Silveira Borba disse...

Imortal!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

daniel disse...

O GREMISTA INFELIZMENTE SE ILUDE.

AONDE CAMPEAO MUNDIAL...

CAMPEAO DA EUROPA E DA AMERICA DO SUL NAO E CAMPEAO MUNDIAL, E INTERCONTINENTAL.

INTERCONTINENTAL.

O MUNDIAL SO ADMITE 3 CAMPEOES ADVINDOS DO BRASIL: CORINTHIANS, SÃO PAULO E INTER.

Anônimo disse...

^
^
^

Daniel do BBB 11, (viado daquele jeito tava na cara q so podia ser colorado!), VTNC macaco!

Fiasco FIFA, Sport Club 2006, a vergonha do Rio Grande!


NOS SOMOS CAMPEOES DO MUNDO
E DA LIBERTADORES TAMBEM
CHORA MACACO IMUNDO
QUE NUNCA GANHOU DE NINGUEM

Anônimo disse...

Fotos do Renato bem guri com uniforme de treino da Olympikus:

http://wp.clicrbs.com.br/pratasdadupla/files/2011/04/ren.jpg

http://wp.clicrbs.com.br/pratasdadupla/files/2011/04/renatop3.jpg

Anônimo disse...

Reanto, simplesmente o maior de todos

Jorge Vinicius disse...

O homem gooooooooooooooool!!!

Anônimo disse...

Sem Comentários!

Anônimo disse...

Maior idolo da historia do Gremio!!

DAISON SANT ANNA disse...

A primeira vez que jogou no olímpico (pelo Esportivo: GRÊMIO 3 X 0 ESPORTIVO
Competição: Campeonato Gaúcho/Octogonal Final - 1º Turno
Data: domingo, 12/agosto/1979 (Dia dos Pais)
Horário: 15h30min
Local: Estádio Olímpico, Porto Alegre
Árbitro: Ruy Canedo
Renda: Cr$ 863 730,00
Público: 24 920 pagantes ?
Grêmio: Manga; Vílson, Ancheta, Vantuir e Dirceu; Vítor Hugo, Paulo Cézar e Nardela (Yura- 25 do 2º); Tarciso (Jesum - 30 do 2º), Baltazar e Éder; Técnico: Orlando Fantoni
Esportivo: Noslen; Edegar, Carlão, José e Raquete; Celso Freitas, Dilvar(Edson - 22 do 2º) e Adílson; Renato Portaluppi (Toninho - intervalo), Valdeci e Rubem; Técnico: Valdir Espinosa
Gols: Tarciso 3 do 2º; Éder 14 do 2º e Baltazar 24 do 2º

Daison Sant Anna disse...

O SEU PRIMEIRO GOL PELO GRÊMIO: NOVO HAMBURGO 0 X 1 GRÊMIO
Competição: Campeonato Gaúcho/Primeiro Turno - Fase Classificatória
Data: domingo, 25/julho/1982
Horário: 15h30
Local: Estádio Santa Rosa, Novo Hamburgo
Árbitro: Roque José Gallas
Renda: Cr$ 4 670 000,00
Público: 11 100 pagantes
Grêmio: Remi; Paulo Roberto, Newmar, De León e Casemiro; China, Paulo Isidoro e Tonho; Tarciso (Jorge Leandro - 40 do 2º), Nei e Isaías (Renato - 31 do 2º); Técnico: Ênio Andrade
Gol: Renato 33 do 2º
**Jornal Zero Hora: "Renato salva o Grêmio quase no fim" - Novo Hamburgo confirmou sua tradição no Santa Rosa e só foi cair diante do Grêmio (que teve o retorno de Paulo Isidoro) aos 33 min da fase final. Entrada de Renato em lugar de Isaías acabou garantindo o Grêmio na liderança.
**Jornal Zero Hora - página - O placar: Renato para o Grêmio, 1 a 0, aos 33 minutos do segundo tempo: O Grêmio pressionava ao final do jogo. Casemiro sofreu falta, ele cobrou no segundo pau. A defesa do Novo Hamburgo atenta á subida de Newmar e á movimentação de Nei, descuidou-se de Renato que cabeceou para baixo.

nei disse...

foi um dos meus idolos;jogava muito. principalmente no cruzeiro em 92

nina cabral disse...

Para sempre heroi.
Otima pessoa.